Buscar
  • Hollun

SOBRE O QUE PERMANECE

Christina Carvalho Pinto

Conversando com amigos, depois do segundo uísque as confissões se repetem: está ficando difícil viver a vida que inventamos para nós mesmos neste mundo urbano e hiperconectado. Ansiedade, perda de significado e uma sensação de estar sendo tragados pelo fenômeno da aceleração. Fala-se muito essa palavra. Todos acelerando, tudo em alta velocidade, correndo, voando em direção a não sei onde.

Nesse corre-corre alucinado, vamos atropelando as únicas coisas que podem nos manter, de fato, vivos (e não androides - caçadores ou caçados). Falo daquilo que constitui a base e a essência do viver; o que pulsa pelo sopro invisível; aquilo que permanece. Que é imutável, que nasce e se fortalece nos grandes silêncios, no cultivo do sentir (diferente dos sentidos), no transcender, ir além das palavras. Na percepção aguda e profunda, que traz os grandes insights. Nos valores que não cabem em contas bancárias.

Respire e responda sem os truques habituais: em que gaveta tudo isso ficou trancado?

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

É Hora de Matar os Gurus

Calma, gente! Obviamente esse título tem um sentido figurado, é uma metáfora. Há um certo tempo me incomodo com a importância e projeção que estudos do tipo “tendências de futuro” ganham aqui no Brasi

CULTURA E MARCA: CONECTAR OU MORRER!

Christina Carvalho Pinto e Paulo Monteiro O velho marketing está se aposentando, preparando seu adeus à era da ilusão, palavra que na origem latina está ligada à ironia e deboche. No frenesi do consum

©2020 por hollun. Orgulhosamente criado com Wix.com